007: O que se passava 'Na Cabeça do Rapha'.

• Comentar


Vou bater mais uma vez nessa tecla porque não tenho como apagar isso da minha vida. Alguém aqui se lembra do 'Na Cabeça do Rapha'? Então esse foi o meu primeiro Blog de sucesso que me proporcionou experiências incríveis. Bem, tudo começou bem cedo, mais do que meus antigos leitores (e alguns atuais que lembram de mim hoje em dia) pensam.

Nunca convivi com meu Pai, nem tampouco fui criado por ele, acho que já comentei sobre isso aqui, né?! Então... Com dezesseis anos e meio estava conversando com uma amiga da igreja onde frequentava e ela vendo toda a minha situação me indagou um dia dizendo mais ou menos assim: "Por que você não vai atrás do seu Pai? Ele tem obrigações contigo! É melhor você ir agora trás dos seus direitos, pois daqui a pouco você faz dezoito anos e isso já não será mais obrigação dele, ele poderá dizer 'quis ajudar, mas você não apareceu, não sabia por onde você andava'. Vai lá, converse com ele." Na semana seguinte a essa conversa estava decidido a ir procura-lo.

Nunca fui de visitar o meu Pai, nunca mesmo. Eu apenas sabia o seu nome, onde ele morava e conhecia umas de suas irmãs e sobrinhas. Ah, lembro também da sua querida esposa... Aff. Numa noite qualquer de meio de semana me dirigi a casa dele e apareci de surpresa. Desci as escadarias que dava no portão de sua casa e toquei a campainha. Ele tomou um susto, perguntou por onde eu andava, disse que achava que eu havia morrido, tudo isso naquele tom básico de malandragem comum dele. Pra completar a maravilhosa recepção ele ainda disse pra sua esposa na sala antes que ela me visse (eu ainda esperava na porta), "Fulana, sabe quem está aqui? Raphael.", ela perguntou qual Raphael seria e ele disse "O ente querido", isso acabou com minha noite, voltei para casa chorando bastante no ônibus.

O que tinha me levado a fazer aquela visita inicialmente com certeza foram as dificuldades financeiras que naquela fase da minha vida começaram a apertar bastante, eu não queria desisitir de ser alguém na vida, queria ser alguém que o meu potencial me proporcionava sempre, um alguém grande. Durante um tempo aparecia lá todo mês pra pegar umas miseria de grana que fazia toda a diferença na minha felicidade de adolescente. Aos poucos fui percebendo que queria mesmo era tentar se aproximar mais daquele troglodita que nunca conheci direito nem tampouco tinha me enraizado algum sentimento bom de saudade ou algo tão virtuoso quanto.

Boa parte da grana que recebia do meu Pai gastava na lan house, em putaria mesmo. Era um escape, sabe? Ah... Também já falei sobre isso aqui, esqueci... "Vamo" falar do Blog então? Bem, desde os meus 15 anos fiz várias tentativas de Blog, um pior do que o outro. Inicialmente as tentativas esquecidas de Blogs (é que eu não lembro dos nomes dos primeiros, foram tantos...) tinham o intuito simplesmente de guardar o que eu achava de melhor na internet, aquilo que me dava mais tesão. Ainda com 16 anos sentia muita falta de conversar com pessoas da minha idade, de ter parceiros e amigos para aventuras, para descobrir a vida, por as emoções pra fora, falar sobre tudo, não tinha nada dizendo. O conflito com a homossexualidade dentro de mim era muito grande, me fazia muito mal, havia muita coisa contida em mim.


Próximo do meu aniversário de 17 anos criei o 'Na Cabeça do Rapha', o Blog vei exatamente pra saciar toda a necessidade de expor e por pra fora tudo o que eu sentia, pensava e queria, tudo isso justifica o nome que eu dei. Lembro-me das experiências na escola, coisas da adolescências, das fodas e de tudo mais que eu escrevia lá. O que eu achava mais bacana era a atenção que eu tinha dos meus seguidores e a audiência que ganhava cada vez mais no Blog. Minhas redes sociais eram uma coisa de louco, eram perguntas que não paravam mais no Ask.fm, o feedback que tinha no Twitter era super rápido e volumoso. A página do Facebook era a única rede que deixava lá de tabela, por obrigação mesmo, quase não usava. Não tive um número absurdo de seguidores, mas o número de partipação e atividade deles era bem significativo. Em menos de um ano consegui ultrapassar a marca de um milhão de visualizações, com uma ano e meio já tinha chegado a dois milhões. Sou extremista, perfecionista. O layout do NCR era amador, mas muito bem organizado e padronizado. Lembro que já fui parceiro de uns dos Blogs/Sites gays mais fodas da internet hoje. Lembro do Biches House ('Btchs' hoje em dia), HLP (Homens de Lingua Portuguesa), King Guys, Desejos Secretos, todos eles no início, assim quando começaram, fui parceiros de todos eles. Bate um arrependimento d pensar que larguei o NCR no meio do caminho, se tivesse insistido até hoje... Talvez estivesse super bem, ainda amis considerando hoje o profissional de publicidade que sou hoje, os pensamentos e a maturidade são muito mais técnicos e evoluídos do que os amadores da asolescência. Ah, também posso dizer que os comentários e os e-mails que eu recebia do leitores e fãs eram a melhor parte de abrir a minha cabeça pra internet ver o que se passava nela. Já ri tanto, me impressionei, ajudei pessoas, fui de certa forma ajudado, fiz amizades...

Próximo dos meus 18 anos fui atualizando cada vez menos o Blog até chegar ao ponto de parar de vez, largar tudo. Era muito chato ver os leitores cobrando "Rapha, cadê as atualizações?". O pior é que prometi por vezes voltar, mas não tive sucesso em concluir as promessas. Acabei excluindo basicamente todos os resíduos e informações do Rapha Boy no final de 2013, um dos meus primos (O Henrique, lembra?)tinha descoberto o Blog e tudo o que havia nele envolvido de forma muito inusitada (Obrigado, Windows 8 filho da puta!!!), fiquei envergonhado e não imaginei o que poderia acontecer depois daquilo, preferi evitar transtornos maiores e me desfiz de tudo. Depois desse evento nos tornamos mais amigos do que sempre fomos, apesar dele não ser gay, converso abertamente com ele sobre tudo o que rola comigo, sem problemas, não tenho travas com ele; inclusive ele lê a sessão Raphalô só pra ficar me zoando quando vou à casa dele (desgraçado) hahahah!

Tenho fãs que falam comigo até hoje. O Guto, dono do Desejos Secretos por exemplo é super meu amigo (e gato, ainda pego ele!), sempre me acompanhou. Tem o Lázaro que na época do NCR até fez umas montagens, banners com minha foto no Photoshop e tal... Vou confessar também que fico todo bobo quando alguém fala que lembra do 'Na Cabeça do Rapha', que era fã, que sempre acompanhava, que era um ótimo Blog...

Águas passadas, né?! Não faz tanto tempo assim, ainda tenho 21 anos, mas as coisas mudaram muito e com o tanto de experiência que adquiri de lá pra cá (que não é tudo o que preciso e posso ter), estou tentando fazer um site ainda melhor pra vocês! Obrigado por acompanharem, seu lindos!

Vamos parar de nhem nhem nhem? No próximo capítulo o bicho vai começar a pegar! Fiquem atentos.

Beijos do Rapha.

0 comentários:

Postar um comentário