002: Os primeiros sintomas do meu desejo gay.



Bem, pra falar a verdade depois do primeiro flash de desejo nítido por outros caras, não sei dizer ao certo como comecei de forma efetiva a cultivar tal desejo. Posso dizer que lembro como se fosse semana passada como foi que descobri que já gozava.


Minha mãe tinha uma amiga que adorava me estimular a gozar, a me atrair por mulheres. Aos meus 12 anos, ela a minha mãe no quintal de casa conversavam lavando roupa, foi quando começou um assunto sobre puberdade, falavam elas da filha dela que tinha 1 ano e meio a menos que eu. Essa amiga da minha mãe era paraíba e um tanto assanhada digamos assim...  Dizia ela naquele dia que o seu marido (que era um tesão na época), tinha u monte de revista de mulher pelada "escondida" dentro de casa, mas não ligava porque era melhor ele olhar na revista do que pessoalmente outra mulher. Nesse dia ela com permissão da minha mãe levou todas essas revistas lá pra casa e pediu pra que eu olhasse todas sozinho dentro de casa e que fizesse os movimentos de punheta no meu pau que com certeza gozaria. Tudo isso houve porque eu havia dito que não gozava ainda, que até tentava tocar punheta, mas o que saía era xixi no lugar do tal gozo que eu nem fazia ideia de como era o aspecto (risos). E lógico, devia rolar um sério assunto sobre minha sexualidade com minha mãe quando estavam longe dos meu ouvidos. Fui criado sem pai, então vocês imaginam como deviam ser os comentários, não é?!

Aconteceu que enquanto elas estavam no quintal e eu só dentro de casa, olhei página por página de todas as revistas e... nada. Nada aconteceu naquele momento, nem tampouco me senti entusiasmado com o que via (vale exaltar que também não senti nojo ou algo semelhante, já que isso é normal pra muitos que são gays). Eram mais ou menos umas 35 revistas que eu folheei tão rápido que acho que em 15 minutos já tinha acabado. Terminando de fazer o esperado por elas, saí pela porta da cozinha e disse a elas "Pronto, acabei!". A ridícula da amiga da minha mãe me perguntou "E aí, saiu?", com aquele sotaque da Paraíba. Eu respondi dizendo não, ela retruco dizendo "Então volta lá e faz assim bem rápido que você já tem sim! Olhe bem pra aquele buceta, igual a uma flor, toda aberta que você goza!" hahahahahahahahahahah!!!!!! Esqueci de fala que ela era banguela de uns dois dentes na frente, então tudo o que ela falava somado ao seu sotaque soava engraçado demais! É... E minha mãe com relação a isso tudo? Permaneceu quieta.

Sempre fui uma criança e adolescente muito ingênuo (psicologicamente saudável, posso dizer), mesmo depois de ter perdido a virgindade. Você devem estar rindo agora, me chamado de trocentas coisas ridículas, mas é verdade. Nunca maldava nada de forma sexual até que os meus desejos começaram a surgir.

Eu tinha 13 anos, minha mãe trabalhava à noite na época e estava só em casa. Era início da noite e fui tomar banho. Sempre fui um moço muito limpo e lavava bem o meu pau; nesse esfrega de lá, esfrega da cá com a espuma do shampoo comecei a achar aquilo muito relaxante, gostoso de uma forma que eu nunca tinha sentido. De repente me peguei já fazendo os movimentos da masturbação, ainda achando que era de brincadeira já que até então nunca tinha gozado. De repente, gozei. Ver aquele líquido branco diferente da espuma do sabonete e do shampoo, era sinal de que já tinha entrado na puberdade (AêêÊ!!!! Hahahahahah!!!). Depois disso foi punheta que não acabava mais, tiveram ocasiões naquela época que chegava a me masturbar 7 vezes ao dia. Era uma "tocação de punheta" até dizer, chega! Por vezes tive dores fortes na próstata no momento do orgasmo de tantas vezes que me masturbava. Geralmente quando era a quinta vez consecutiva.

O ano era 2008 quando aconteceu o ocorrido e passava a novela "Caminhos do Coração", mais conhecida como "Mutantes", nome dado a trama a partir de sua segunda temporada. Minhas primas foram morar lá em casa por pouco tempo e elas ficavam atiçadas com o número de caras gostosos e lindos que tinham no elenco da novela. Eu com aquele histórico todo de assédios e tentações pré puberdade, comecei a ceder naquele período. A sensação era estranha, pois eu olhava para os rapazes na TV e ficava paralisado olhando para eles de forma intensa. Minha loucura pelo Bruno Gagliasso começou nessa fase, inclusive. Com esse fluxo de homens me excitando sem camisa, sendo belos nas tramas da televisão, acabava tirando foto deles na tela da TV com o celular (que na época era de câmera VGA hahaha!) e ia me masturbar no banheiro. E o que dizer dos recortes de revistas e jornais? Tinha vários. Não podia ver um homem bonito sem camisa, ou de cueca (geralmente modelos e famosos posando para marcas de cueca) em qualquer espécie de impresso que já recortava a foto e anotava o nome na minha agenda.

Inúmeras vezes minha mãe achava pastas com recortes de homens sarados e bonitos escondidos debaixo do meu colchão, entre minhas coisas. Mas como tipicamente ela fazia, nunca comentava nada sobre comigo, apenas quando encontrava coisas do tipo queimava em silêncio. As listas com nomes dos famosos que via na TV, revistas e jornais (pra você entender direito, era uma folha com pauta com os nomes do caras escritos à mão) também por vezes foram descobertas pela minha mãe e minhas primas. Eu fazia essas listas com o intuito de fixar na memória todos aqueles que me ascendiam de forma intensa.

A situação começou a ficar pior quando comecei a sentir tesão por alguns dos meus colegas de infância (que já eram assanhadinhos antes de mim) a todo momento. O pior era que diferente de mim, não tinham eles pudor algum, falavam sobre sexo o tempo inteiro, pegavam no pau constantemente, disputavam verbalmente entre si quem tinha o pau maior entre outras coisas que atordoavam meus pensamentos. Chegava e corria pro banho pra tocar punheta pensando neles fazendo o mesmo e em tudo o que diziam. Era uma época difícil, pois tinha que conter os meus olhares para eles quando estava em público. Mas ainda assim, não adiantava de nada todo esse esforço, cresci sendo chamado de viado (gay), das formas mais ofensivas e sarcásticas possíveis, tanto  meus trejeitos quanto pelo meu perfil recatado de bom garoto nerd e super inteligente.